RecriAção: a vida sob a ótica das possibilidades

O modus operandi do nosso corpo é “apenas” um padrão aprendido frente ao que entendemos como normalidade. Nascemos, crescemos fazendo o “normal” e entendendo que esta é a via. Aí, a vida impõe desafios adaptativos, a ciência evolui, o conhecimento transborda e tudo isso nos entrega novas possibilidades, que requerem sacrifícios que podem se abrandar quando entendemos que somos muito mais do que a “normalidade”, quando olhamos para a nossa capacidade adaptativa como o milagre de que tanto duvidamos mas que se materializa dia a dia à nossa frente, na nossa cara e que a gente “ignora” por falta de conhecimento, experiência ou coisa e tal.

A capacidade adaptativa do corpo humano, fermentada pelo conhecimento científico, é a própria criação em si. O poder divino que nos foi oferecido para reinventarmos formas de ser, agir; para ressignificarmos, revolucionarmos, reconstruirmos e, além disso tudo, sairmos melhores do que antes, quando estamos focados no processo e na grandeza da oportunidade que não é a mesma para todos. Não é fácil, não mesmo! Fazer diferente, sair da “zona de conforto”, lidar com limitações momentâneas, mas é a via e é possível e é transformador. Que o amor alinhave todos os momentos, inseguranças, medos, estimule alegrias, generosidade com tudo, inclusive com a limitações temporárias, e amalgame a certeza de que tudo é temporário e que dias melhores são a meta e estão sempre esperando por nós.

Texto escrito por: Ricardo Machado


Instituto Eluar

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.