O nosso corpo é o que pensamos

“Não há nada na mente que já não tenha passado antes pelos sentidos”.
-Aristóteles-

As doenças autoimunes são um mistério em muitos aspectos ainda: suas causas, os consequentes comportamentos e os avanços para o tratamento ainda deixam dúvidas no ar, mas a importância do papel da mente nestas patologias é um fato.

As doenças autoimunes são o resultado do ataque do corpo sobre si mesmo, o sistema imunológico falha e não consegue reconhecer o que é do próprio corpo ou não. E o mais intrigante ainda é que isto acontece com pessoas perfeitamente saudáveis.
A forma como a mente se comporta muda todo o andar do tratamento, o positivismos, a crença, a fé, a vontade se seguir em frente e ter objetivos fazem com que tudo fique mais fácil, com que a vida pouco a pouco volte ao ritmo e as coisas se encaixem.

Os tratamentos psicológicos são importantíssimo neste processo, principalmente na fase recente ao diagnóstico, quando nos vemos com tantas dúvidas, medos, receios e inseguranças, o profissional é essencial para fazer que com que fiquemos na linha da nossa vida e não passemos para a vida da doença.

O desespero faz com que queiramos nos fechar como ostras, e assim como elas, temos pérolas nas nossas emoções, sabemos que aprenderam coisas inimagináveis durante todo o processo de dor e aflição em que passamos, e estas pérolas precisam sair e brilhar e para isto um bom profissional de psicologia poderá te ajuda. Não se esqueça, nós fomos iluminados pela dor, crescemos e aprendemos coisas belíssimas, que não podem ficar ocultas e desorganizadas, elas nos impulsionarão em direção aos nossos sonhos.

As doenças autoimunes comprometem a qualidade de vida do paciente. Podem ser dolorosas, de difícil assimilação e nos roubam a esperança. Os doentes recorrem ao médico em busca de respostas e geralmente só encontram silêncios e paliativos, nem sempre eficazes para os seus sofrimentos.

Embora isto esteja sendo reconsiderado, o Ocidente impôs a ideia de que corpo e mente são realidades isoladas e, por vezes, contraditórias. No entanto, está cada vez mais claro que saúde e bem-estar são conceitos integrais e o plano físico é tão importante quanto o mental.

A resistência em tratar da mente nasce da ideia equivocada de que aqueles que sofrem de uma doença de fundo mental não são fortes o suficiente ou, então, que essa dor é uma invenção do paciente.

#fundacao #ong #apoioaopaciente #doencasreumaticas #informar


Instituto Eluar

1 thought on “O nosso corpo é o que pensamos”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.