A promessa de última esperança e o coquetel anti covid-19 – O que você precisa saber

Um medicamento imunossupressor biotecnológico muito conhecido e utilizado para o tratamento de algumas doenças reumáticas, vem se mostrado promissor no tratamento da Covid-19 em casos mais graves. E com esse fato muitos infectologistas de renome estão receitando o tratamento e medicando seus pacientes como ultimo recurso para salvar a vida do mesmo.

Acontece que essa prática está colocando o fornecimento do medicamento Tocilizumabe sob ameaça para aqueles pacientes que o utilizam de forma contínua para tratar doenças graves como a artrite reumatoide. Apesar da indicação para a covid-19, não está regulamentada para distribuição gratuita no SUS, e com isso outro problema surge: A comercialização abusiva. Familiares e pacientes desesperados acabam esbarrando em oportunistas que chegam a vender uma ampola do medicamento por R$20.000,00 reais segundo informações do site Contilnet Notícias. Em farmácias online chega custar R$30.000,00 reais. Não haja por impulso ou desespero!

Em contrapartida, a ANVISA anuncia nessa última terça-feira (20) a autorização do uso emergencial do coquetel contra a covid-19, que é composto por dois medicamentos experimentais da farmacêutica Roche. Casirivimabe e Imdevimabe (REGN-COV-2) atuam em ligação com a coroa do vírus de forma a impedir sua entrada nas células ainda não infectadas para replicar o material genético, controlando a doença.

Mas atenção! A medicação é indicada especialmente para pacientes de doenças crônicas e graves que possuem comorbidades e que apresentam alto risco de desenvolver progressão para um quadro grave da covid-19. A ANVISA aprovou por um prazo determinado de 12 meses por se tratar de um tratamento experimental de uso emergencial.

A cada dia que passa as pesquisas e tratamentos veem avançando cada vez mais, vamos confiar na ciência e seguir sempre a orientação do profissional da saúde e do Sistema de Saúde. Muito em breve todos estaremos vacinados e imunizados contra essa pandemia mundial.


Dayane Ferreira

Catarinense, 32 anos. Social media manager, digital influencer e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 10 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.