A dor que habito

Às vezes sou flagrada por mim mesma cobrando e me exigindo de tantas coisas, que na maioria das vezes é mais necessário para os outros do que para mim mesma. Há tantas coisas a se preocupar, realizar, fazer e acontecer e podem estar bem diante dos nossos olhos, mas não enxergamos pois a vontade de outras pessoas acaba ofuscando nossas vontades e objetivos.

O mundo está cada vez mais doente, as pessoas cada vez mais frias e egoístas, todo mundo está nem aí para a dor de ninguém, é quem mais pode ganhar like em cima da dor e sofrimento do outro. Cheguei a conclusão que você só entende uma dor quando sente na sua pele, caso contrário é pura ilusão.

Não diminua a dor que você realmente sente para agradar ou parecer correto aos olhos de ninguém. Pois quando você está ali sozinho, você e sua dor, você e seus remédios, suas limitações, e frustrações, ninguém vai entender sentir realmente tanto quanto você.


Dayane Ferreira

Catarinense, 32 anos. Social media manager, digital influencer e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 10 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.